Icone Ourofino - Pet

Doenças transmitidas por carrapatos: Babesiose Canina

A Babesiose é uma doença causada por um gênero de protozoários denominado Babesia spp que parasita as hemácias (eritrócitos), por este motivo é denominado de hematozoário.

Babesia spp. parasitam vários animais domésticos tais como equinos, bovinos e caninos. Existem várias subespécies de Babesia que acometem os cães como a Babesia canis, Babesia gibsoni e Babesia vogeli. No Brasil, a espécie mais comum é a B. canis.

Os vetores da Babesiose canina são os carrapatos pertencentes à família Ixodidae sendo os principais responsáveis pela transmissão os carrapatos Rhipicephalus sanguineus conhecidos como “carrapato marrom” ou “carrapato vermelho”. Outros gêneros de carrapatos também podem ser vetores da Babesia spp sendo eles Dermacentor spp, Hamaphysalis leachi e Hyalomma plumbeum.

A transmissão dá-se através da saliva dos carrapatos infectados no momento em que os mesmos realizam repasto sanguíneo nos cães. A presença dos parasitas na circulação do hospedeiro vertebrado ocorre um a dois dias após a inoculação tendo uma duração que varia de dez a quatorze dias. Os protozoários se aderem à membrana das hemácias e, por endocitose, penetram no interior das mesmas. No interior dos eritrócitos os parasitas se dividem por fissão binária formando dois ou quatro indivíduos, após essa divisão há rompimento das células e os parasitas são liberados indo parasitar novas células.

Podemos observar nos animais diversos tipos de infecções, a saber: subclínicas, superagudas (hiperagudas), agudas, crônicas ou atípicas. É importante ressaltar que a gravidade da doença varia de acordo com fatores como espécie do agente (cepa), idade, raça e estado imune do cão.

Comumente achamos sinais clínicos como anemia, hemoglobinúria febre e icterícia. Também podemos observar letargia, anorexia e esplenomegalia. Animais que habitam em áreas onde o parasita encontra-se amplamente distribuído (áreas endêmicas), é comum observarmos uma infecção do tipo subclínica onde os sinais são mais brandos com febre, apatia e melhora clínica subsequente; estes cães passam a ser portadores da infecção, constituindo importante reservatório e fonte de infecção para outros animais.

A infecção do tipo hiperaguda acomete principalmente neonatos e filhotes que apresentam resposta imune deficiente e comumente são causados por cepas mais virulentas. Filhotes acometidos apresentam anemia hemolítica regenerativa além de febre, icterícia e hemoglobinúria.

A forma aguda da enfermidade é caracterizada também por febre e icterícia, entretanto, podemos observar mucosas pálidas (hipocoradas), depressão, anorexia, anemia hemolítica, trombocitopenia, hemoglobinúria, bilirrubinúria e bilirrubinemia. Durante as fases agudas da infecção é possível detectar a parasitemia através de esfregaço sanguíneo, onde observarmos os parasitas no interior das hemácias.

Na forma crônica, os cães infectados apresentam as seguintes manifestações clínicas: anorexia, febre intermitente, definhamento, fraqueza, esplenomegalia, hemoglobinúria e icterícia.

Nas infecções atípicas, uma variedade muito grande de sinais clínicos aparece como, por exemplo, sinais gastrintestinais, sinais do SNC e sinais músculo-esqueléticos.

O diagnóstico da doença é baseado na história clínica (presença de carrapatos) e nos sinais clínicos. A confirmação do diagnóstico é feita através da avaliação microscópica de esfregaço sanguíneo onde se observa a presença dos protozoários no interior das hemácias infectadas.

Através de avaliação microscópica de esfregaço sanguíneo só é possível detectar os parasitas em animais que estejam na fase aguda da infecção, pois em animais em fase crônica da doença ou aqueles que são apenas portadores poucos organismos estão no interior das células.

Testes sorológicos podem ser utilizados como forma de diagnóstico, a reação de imunofluorescência indireta é utilizada para determinação os anticorpos contra Babesia spp, no entanto esse método não pode ser utilizado para realização de diagnóstico definitivo uma vez que há animais que podem ser soropositivos, mas clinicamente normais. Para o estabelecimento da conduta terapêutica a ser prescrita é interessante que a espécie do parasita seja identificada, para este fim os teste sorológicos não são indicados, portanto os mesmos não devem ser utilizados como formas de diagnósticos definitivos. 

O emprego de técnicas de biologia molecular como a reação em cadeia da polimerase (PCR) são importantes na identificação de animais portadores crônicos da doença. A combinação de PCR e analise da genética aumenta a informação a respeito das cepas envolvidas na infecção.

O tratamento é baseado no controle do parasita, na moderação da resposta imune e tratamento dos sintomas. Quando comparada a B. canis, sabe-se que a B. gibsoni apresenta menor resposta a terapia.

Várias drogas denominadas babesicidas são efetivas sendo eles: sulfato de quinurônio, aceturato de diminazeno, imicarbalida, isetionato de fenamidina e diproprionato de imidocarb. Os mais indicados são o aceturato de diminazeno e o diproprionato de imidocarb.

A babesiose é uma zoonose transmitida aos humanos também por carrapatos. O primeiro registro da doença em humanos no Brasil foi no estado de Pernambuco. A maioria das infecções é branda ou assintomática. O quadro pode apresentar-se grave em pacientes esplenectomizados e em paciente com HIV. 

Por Mariana Diniz, Médica Veterinária e Assistente Técnica da Ourofino Saúde Animal.

56Comentários

  1. 21 de fevereiro de 2012 às 19:56 joão ferreira andrade:

    olá, tenho um cachorro não sei a raça dele, mas é médio pra grande, ele tá com a doença do carrapato, o veterinário passou uns comprimidos para dar a ele 2 vezes ao dia, caso não adiantasse ele entraria com aplicação muscular, foi o que ocorreu, foi feito a aplicação no cão… o problema é que o cachorro é muito bravo, até 03 dias nós estava-mos conseguindo dar a medicação para ele atrvéz de pedaço de carne, com o comprimido no meio, mas agora o bicho não aceita mais nada, não quer comer mais nada além de só tomar agua, a injeção foi dada , mas os comprimidos tem que ser dados por 21 dias, não sei mais como posso fazer isso, perciso de orientação e ajuda, pois o meu veterinário deve ter viajado no carnaval, e não atende o celular, ontem só consegui dar uma vez para o cão…!!!

  2. 22 de fevereiro de 2012 às 12:05 Mídia Digital:

    Prezado João,
    É com grande satisfação que recebemos seu contato.
    Alertamos que para ser eficaz, todo o tratamento deve ser seguido conforme a indicação em bula e/ou do médico veterinário. Alguns medicamentos podem ser dissolvidos em água para facilitar a administração, porém o fato seu animal não estar ingerindo alimentos, deve ser relatado ao veterinário para acompanhamento e outros esclarecimentos.
    Estamos à disposição para maiores informações.
    Atenciosamente,
    Ourofino Agronegócio

  3. 29 de fevereiro de 2012 às 19:01 roberta:

    boa tarde

    o cachorro da minha mae tem apresentado alguns sitomas parecidos
    porem alem dos demais sintomas ele tem apresentado coceira a tal ponto de se ferir ao se cosar e parece esta ficando sego de uma das vistas
    nao sabia do o corrido e ontem ao ver o estado do animal fiquei indiginada tentei levalo ao veterinario hoje mas ele já nao se encontrava no consultorio então marquie consulta para a sexta
    gostaria de saber se tem alguma outra doença que apresenta sintomas parecidos.

  4. 5 de março de 2012 às 19:51 Mídia Digital:

    Prezada Roberta,
    É com grande satisfação que recebemos seu contato.
    Além da babesiose canina, diversas patologias podem apresentar os sintomas relatados. A confirmação do diagnóstico da babesiose é feita através da avaliação microscópica de esfregaço sanguíneo e/ou testes sorológicos, além da sintomatologia clínica. Para o correto diagnóstico e tratamento de seu animal, recomendamos que consulte um médico veterinário.
    Estamos à disposição para maiores informações.
    Atenciosamente, Ourofino

  5. 6 de março de 2012 às 11:53 caetano viano:

    forca a medicina veterinaria no mundo o caminho e longo e rodeados por varias doencas que afectam diversas especies animais.juntos lutaremos para salvar o planeta.

  6. 6 de março de 2012 às 19:38 Mídia Digital:

    Olá Caetano,
    Muito obrigada pelo apoio ao nosso trabalho!
    Atenciosamente,
    Ourofino Agronegócio

  7. 8 de março de 2012 às 1:19 Francielle Kenia Marcelino dos Santos:

    Tenho um poodle de 6 anos e 3 meses, a veterinária ja constatou a babebiose nele.Hoje esta fazendo 6 dias que ele esta tomomando os medicamentos e de antibiotico ele esta tomando doxiciclina. No ínicio ele não comia nada, e não podia dar o antibiotico, vendo a fraqueza do meu filhote,passei a alimenta- lo na seringa. De tres dias pra cá ele passou a comer na insistencia a ração misturada com o patê de carne. E esta melhorando…

    Todas as vezes que ele toma o antibiotico ele fica com um pouco de problemas ao respirar custando voltar mas acaba que melhora. Tenho uma outra cadela em casa que não apresenta visualmente problemas algum. Esta cadela pode ser também uma portadora da doença que não tem reação nela mesmo.A doença pode acontecer outras vezes no mesmo cachorro.

    E algumas vezes o meu cachorro fica como se fosse uma tose, mesmo sem ter tomado o remedio naquele instante, também pode ser por causa da doença.

  8. 8 de março de 2012 às 2:45 Luiza:

    Boa noite. a poucas horas recebi uma noticia que me deixou estarrecida. uma criança de 7 anos está com plaquetas 42.0000, com mancha roxas pelo corpo e cansaço ao correr e foi descoberto um carrapato na vagina dela. esses sintomas tem a ver com a babesiose?
    Obrigada

  9. 10 de março de 2012 às 13:53 Fernanda:

    Meu lhasa, quando tinha 7 meses, foi diagnosticado com babesiose, pois apresentava petequias e suas plaquestas estavam em 14.000. Foi tratado com doxifin e, 7 dias depois, as plaquetas passavam dos 200.000. Ocorre que, 6 meses depois, novamente as plaquetas cairam, mas, dessa vez, para 125.000. Usou doxifin por 21 dias e tais plaquetas foram para 181.000. Mais nove dias com o remédio e tal contagem caiu para 112.000. O que será que está acontecendo? Existe uma forma crônica da doença ou isso seria recaída? Muito obrigada.

  10. 19 de março de 2012 às 12:54 Mídia Digital:

    Prezada Francielle,
    É com grande satisfação que recebemos seu contato.
    Em alguns casos, os cães que foram picados por carrapatos contaminados, podem apresentar uma sintomatologia mais branda da doença, que passa despercebida e o cão passa a ser portador da doença. Um cão que passou por tratamento, pode apresentar a doença novamente caso seja picado por um carrapato contaminado. Qualquer sintoma e/ou comportamento incomum de seus cães, deve ser relatado ao médico veterinário que está acompanhando o caso.
    Recomendamos que sempre consulte um médico veterinário para o correto diagnóstico e tratamento de seus animais.

  11. 19 de março de 2012 às 12:57 Mídia Digital:

    Prezada Luiza,
    É com grande satisfação que recebemos seu contato.
    A babesiose é uma zoonose transmitida aos humanos por carrapatos. O primeiro registro da doença em humanos no Brasil foi no estado de Pernambuco. A maioria das infecções é branda ou assintomática. Porém recomendamos que um médico seja consultado para o correto diagnóstico, acompanhamento e tratamento do caso.
    Estamos à disposição para maiores informações.

  12. 19 de março de 2012 às 14:03 Mídia Digital:

    Prezada Fernanda,
    Recomendamos que consulte o médico veterinário responsável pelo atendimento de seu cãozinho para acompanhamento e esclarecimentos relativos ao tratamento da doença. Colocamo-nos à disposição para quaisquer dúvidas no telefone: 0800 941 2000 ( solicitar falar com o dep. de Farmacovigilância/SAC).
    Atenciosamente,
    Ourofino Agronegócio

  13. 28 de janeiro de 2013 às 21:30 erika:

    meu cachorro está muito triste,parou de se alimentar,faz muito vômito com diarréia,e está emagrecendo cada vez mais. ja o levei no veterinário e passaram p/ ele usar um shampoo anti–pulgas e um talco p/ evitar carrapatos,passaram tambem uma vitamina. ele ja está se alimentando,mas continua magro e um pouco triste, estou pensando em dar a doxilina,pois pesquisei na internet e vi que é o tratamento p/ a doença do carrapato. por favor me ajudem, ñ sei mais o que fazer,pois ja o levei em dois veterinários e nenhum resolveu o seu problema,tenho muito medo pois a doença está se agravando. obrigado

  14. 29 de janeiro de 2013 às 13:39 Mídia Digital:

    Olá Erika, como vai?
    Encaminhamos a resposta para o seu e-mail.
    Qualquer dúvida estamos à disposição.
    Obrigado!!

  15. 7 de fevereiro de 2013 às 19:33 souza:

    Por favor, há uma semana atrás comprei uma Boder Colie de apenas (3 meses), dois dias depois ela não queria comer nada, levei ao veterinário e foi diagnosticada com doença de carrapato, gostaria de saber se existe algum medicamento p/ idade dela que posso dar e que vai eliminar a doença, ou se não tiver cura se a melhor opção seria devolve-la ao dono anterior? gostaria muito de poder curá-la, mas os veterinários estão receitando um monte de remédios caríssimos e não posso comprar no momento. Obrigado.

  16. 13 de fevereiro de 2013 às 12:16 Mídia Digital:

    Olá Souza,
    Encaminhamos as orientações para o e-mail informado.
    Estamos à disposição, obrigado!

  17. 16 de maio de 2013 às 0:13 junior santos:

    tenho um fila , a dois anos atras ele apresentou os sintomas da doença do carrapato foi tratado e ficou curado agora ele esta apresentando os mesmos sintomas , ele pode ter tido uma recaída da doença ?

  18. 30 de maio de 2013 às 23:43 RAfael RUchido:

    Olá a todos. Preciso de ajuda urgente! O Cachorro da minha mão, um vira-lata MUITO gente boa teve essa doença à uns 3 meses atrás. Levamos ao veterinário, ele tomou todos os medicamentos mas desde então, só fica deitado. Não consegue se movimentar , late fraco e faz todas as necessidades parado. Temos que dar comida e água pra ele na boca. Voltamos ao mesmo veterinário, ele fez um tratamento com corticoides mas infelizmente sem resultado.

    Gostaria de pedir uma luz, alguma idéia , algo que possa solucionar esse problema. Estamos todos sofrendo com isso é queremos ve-lo curado, mas se não houver outra opção, teremos de acabar com o sofrimento dele.

    Pelo amor de Deus!

    Obrigado a todos.

  19. 12 de junho de 2013 às 19:14 Mídia Digital:

    Prezado Junior,
    Por gentileza confira as orientações enviadas para o seu e-mail.
    Estamos à disposição.

  20. 12 de junho de 2013 às 19:21 Mídia Digital:

    Prezado Rafael,
    Confira em seu e-mail as orientações da nossa equipe.
    Um abraço.

  21. 28 de julho de 2013 às 20:15 Clidemar Amorim Risério:

    Dra. Mariana Diniz,

    No último dia 22 o meu cãozinho da raça poodle com 08 anos e 04 meses de idade faleceu. O mesmo era bastante saudável! Mas de repente: ficou triste, fraco, dormioco, diminuiu o apetite, parou de latir, ficou quase cego e lento.
    Foi realizado teste de calazar e o mesmo deu negativo. Ele sempre teve infestações de carrapatos. Nos últimos dias a fezes era escura. 05 dias antes de morrer parou totalmente de alimentar. As vezes vomitava. Qual a doença que matou meu poodle Doutora?

  22. 1 de agosto de 2013 às 11:19 Mídia Digital:

    Prezado Clidemar,
    Para melhor orientá-lo, nossa equipe entrou em contato pelo e-mail informado.
    Estamos à disposição.

  23. 2 de agosto de 2013 às 10:51 jessica:

    Oi Bom dia,meu nome é Jéssica tenho três cães e eles estavam fazendo tratamento com o comprimido doxitrat 1 a cada 12 horas, o que acontece eles estão com olhos bastante vermelhos e com coceira, não querem comer nada, o que eu faço já ofereci de tudo será que tem este comprimido injetável? Estou desesperada amo demais eles são vira-latas doceis ás plaquetas estão muito baixas. Me ajude por favor!

  24. 2 de agosto de 2013 às 20:01 Mídia Digital:

    Prezada Jéssica,

    É com grande satisfação que recebemos seu contato.

    Informamos que o produto Doxitrat não é fabricado pela Ourofino Saúde Animal.

    Recomendamos que consulte um Médico Veterinário para a realização de exames e indicação do tratamento mais adequado aos seus cães.

    Estamos à disposição para mais informações.

  25. 22 de agosto de 2013 às 16:41 viviane:

    Boa tarde, meu cachorrinho de 1 ano e seis meses pegou babesia e já fez o tratamento inclusive teve rejeição a transfusão de sangue mas as plaquetas já voltaram ao normal, repetimos os exames e agora a creatinina subiu para 2,8 e ureia 113. Começou a tomar soro ringer e ketosteril mas esta baixando muito lentamente, e as hemácias que estavam boas caíram para 2,100 não sei mais o que fazer, ele não quer comer e nem tomar agua. Se puder me ajudem. Obrigada.

  26. 23 de agosto de 2013 às 18:53 marta lúcia da cruz:

    Gostaria de saber se o cão que esta com a Babesia Canis apresenta sintomas tipo boca seca além dos demais, pois a minha cadelinha foi diagnosticada com a doença e esta desse jeito, por isso gostaria de saber que remédio seria mais recomendado e se mesmo depois de tratada ela pode vir a repetir a doença?
    E mais, ela pariu a três(03) meses atrás, será que os filhotes dela também estão contaminados?

  27. 26 de agosto de 2013 às 19:55 Mídia Digital:

    Olá Viviane, obrigado por entra em contato com a gente.
    Em seu e-mail seguem nossas orientações.

  28. 27 de agosto de 2013 às 12:39 Mídia Digital:

    Prezada Marta Lúcia, agradecemos seu contato.
    Verifique em seu e-mail as orientações da nossa equipe.

  29. 29 de agosto de 2013 às 14:34 Jaqueline:

    Bom dia, adquirimos dois filhotes de pinscher neste domingo, o Chico (64 dias) e a Jully (54 dias), estão comendo bem, as fezes estão firmes, estão super ativos e não apresentam nenhuma alteração aparente, mas como não sabíamos a procedência dos filhotes fizemos uma bateria de exames nesta quarta feira. Infelizmente, ambos deram positivo para Babésia e já apresentam uma leve anemia nos exames de sangue. Estamos muito preocupados, pois são apenas bebezinhos. Já começamos hoje as aplicações, mas gostaria de saber um pouco mais sobre os efeitos colaterais do tratamento já que somos inexperientes e estamos muito nervosos pois são apenas filhotinhos :’(

  30. 12 de setembro de 2013 às 17:23 Mídia Digital:

    Prezada Jaqueline, enviamos as orientações para o seu e-mail.
    Estamos a disposição.

  31. 27 de setembro de 2013 às 17:11 Eliane Sepulchro:

    Meu cachorro puldo esta sendo tratado da babesiose esta com 18 dias de tratamento tem dias que parece bem tem dia que fica triste durante o dia a gengiva esta vermelha e quando amanhece a gengiva esta branca de tanta anemia porque sera esta mudança tão inesperada estou dando hemolitan e babecid posso dar também o doxiclina por favor me ajude estou muito preocupada que DEUS abençoe voceis que nos ajuda dendo informações precisa .

  32. 1 de outubro de 2013 às 16:19 Mídia Digital:

    Prezada Eliane, enviamos as orientações para o e-mail informado.
    Obrigado.

  33. 10 de outubro de 2013 às 16:13 Rafael Teixeira:

    Estou com uma cadela com 10 filhotes de 20 dias +- e na minha casa já foi constado alguns casos de babesia e possivelmente herliquiose, os filhotes estão com aparencia saldavel alimentando bem a mãe tem muito leite , em pouco tempo dois deles aparentemente entraram em anemia , as mucosas estavam brancas assim com a pele da barriga meio amarelada//esbranquiçada , sintomas de babesia , apesar de a infestação de carrapatos esta bem controlada, raramente encontro carrapatos nos filhotes , um ou dois , nos animais , fiz o uso de imizol injetável tendo fazer uma quimioprofilaxia , mais dois dos filhotes morreram antes do tratamento , gostaria de saber se tem a possibilidade de ser alguma outra doeça , que tenha sintomas parecidos , ou mesmo um tratamento para a mesma ,?? Alguns dos meus animais que foram infectados, animais mais velhos fiz o uso de Imizol e CORTA CURSO ”’cloridrato de doxiciclina ”’ e funcionou bem ..
    Desde já agradeço …

  34. 12 de outubro de 2013 às 20:49 fernanda:

    boa tarde, meu cachorrinho de 2 ano e 7 meses pegou babesia e esta internado desde de segunda inclusive fez transfusão de sangue na quarta reagiu bem no dia e um dia depois, ja no terceiro dia ficou muito mal, o veterinario disse q o figado nao esta bom , no meu modo e ver ele esta sem sangue, nao sei o que fazer, a veterinaria tbm ´fala q tem q esperar as reaçoes do medicamento ele esta muito ofegante ele não quer comer e nem tomar agua. Se puder me ajudem. Obrigada. estou desesperada

  35. 16 de outubro de 2013 às 20:16 Mídia Digital:

    Olá Rafael, tudo bem?

    Envaminhamos a sua resposta por e-mail.

    Agradecemos o seu contato.

  36. 17 de outubro de 2013 às 20:00 Mídia Digital:

    Olá Fernanda, tudo bem?

    A resposta para sua dúvida foi encaminhada para o seu e-mail.

    Agradecemos o seu contato.

  37. 19 de outubro de 2013 às 0:44 Sandra:

    Meu cachorro esta tomando remedio pela quarta vez para compater a doença do carrapato.Recaidas assim sao normais? No momento a doença so pode ser identificada pelo exame de sangue (plaquetas baaixs),pois fisicmante ele nao apresenta nenhum sintoma.Gostaria de orientaçao.

  38. 24 de outubro de 2013 às 19:42 Mídia Digital:

    Prezada Sandra,

    É com grande satisfação que recebemos seu contato.

    O tratamento da babesiose canina é baseado no controle do parasita transmissor, na moderação da resposta imune e tratamento dos sinais. Recomendamos que consulte o Médico Veterinário que realizou o diagnóstico em seu cachorro para o acompanhamento do tratamento.

    Estamos à disposição para mais informações.

  39. 28 de outubro de 2013 às 22:03 MAIAME CARDOSO RIBEIRO:

    Olá, tenho um pit bull de 3 meses , ele fez exame de sangue e foi constatado a doença, porém ele apresentou bastante vomito e falta de apetite apenas 6 dias depois , e a médica veterinária falou que é por causa da doença babesia. Ela me disse que ele tinha de ser internado imediatamente e que em 3 dias ele já voltaria pra casa bem. Porém ele já está na clinica há 3 dias , não para de vomitar e apra piorar começou a ter diarréia, só toma soro, não come nada há 4 dias, eles só me dizem que pit bull é um animal muito sensível e que esse é o ciclo da doença , e o meu filhote não melhora. NÃo sei o que fazer. Estou quase com depressão por causa da falta do meu filhinho.
    Me ajude , Informações por e-mail.

  40. 4 de novembro de 2013 às 15:08 Amanda Gabriele Adão:

    Olá, meu nome é Amanda e estou muito preocupada com o meu cão. Ela é um labrador preto de 1 ano e foi diagnosticado com a doença do carrapato em um hemograma que resultou em números extremante baixos em todos os aspectos e já está em tratamento. Como sou leiga em relação a este assunto, gostaria de saber se para notar a melhora do cão demora muito, pois até agora não vi nenhuma. Ele não come (paladar seletivo), continua com febre, secreção nos olhos e agora em suas fezes há sangue (fezes com consistência normal, porém há sangue vivo no término do cocô). Ontem ele teve uma crise de vômitos, vomitou MUITO, estamos hidratando com soro caseiro e bastante água, mais não sei o que fazer. Será que há a hipótese de um diagnostico errônio??? Ou isso é devido o forte antibiótico???

  41. 7 de novembro de 2013 às 11:19 Mídia Digital:

    Olá Maiame, obrigado pelo contato.
    Encaminhamos as orientações para seu e-mail.
    Att, Ourofino

  42. 7 de novembro de 2013 às 11:25 Mídia Digital:

    Prezada Amanda,

    É com grande satisfação que recebemos seu contato.

    Recomendamos que seu cão continue sendo acompanhado pelo(a) Médico Veterinário(a), para garantir um adequado suporte e intervenção no tratamento, caso necessário.

    Estamos à disposição para mais informações.

  43. 11 de novembro de 2013 às 0:26 Adelaide Cunha:

    Achei na rua uma cadelinha muito debilitada na época pesando 1k com idade aproximada segundo o vet 3 meses hoje está com 7 e pesa 10k já vacinada e vermifugada.
    Esta madrugada apresentou um quadro de vômitos de início o conteúdo era a racao depois passou a ser um líquido amarelado.As fezes primeiras foram normal e depois se tornaram como um catarro amarelado e sanguinolento levei imediatamente ao vet,foi hidratada e colheu sangue e fezes no sangue deu positivo para babesia e nas fezes foram todos os parasitas e afins negativo.Lendo sobre babesia não encontrei sintomatologia parecida com o quadro clínico apresentado por ela,mesmo assim ela pode estar com a mesma sem sintomatologia aparente.
    Aguardo retorno
    Sem mais meus agradecimentos.
    Adelaide Cunha.
    Obs. Hemacias discretamente diminuídas e plaquetas em 90.000

  44. 20 de novembro de 2013 às 13:17 Mídia Digital:

    Prezada Adelaide,
    Confira em seu e-mail as considerações de nossa equipe. Obrigado por escrever.

  45. 21 de janeiro de 2014 às 0:16 Priscila Alves:

    Olá!! Tenho um pitbull de 5 anos que está com câncer de pele, apresentando dois grandes tumores que não puderam ser retirados ainda porque ele está com babesiose.
    Está tomando doxiciclina há 20 dias (o med. veterinário prescreveu 30 dias) e durante este tempo tomei todas as providencias necessárias para acabar com os carrapatos dele, mas parece que tudo foi em vão. Ele continua com carrapatos. Não sei mais o que fazer os tumores dele não param de crescer, mas para isso ele tem que estar curado da doença do carrapato. Alguma sugestão???

  46. 21 de janeiro de 2014 às 17:21 Mídia Digital:

    Olá Priscila,
    Agradecemos o seu contato, mas infelizmente não podemos ajudá-la. O correto diagnóstico deve ser feito somente sob consulta. Procure um veterinário que possa ajudá-la.
    Fique a vontade para entrar em contato conosco. Obrigado.

  47. 28 de janeiro de 2014 às 23:37 Adriana:

    Boa noite,
    Meu poodle de 5 meses fez um exame de sangue q acusou 62000 de hemacias, apesar de não apresentar ate então nenhum sintoma, está tomando doxiciclina. Tinha uma dermatite (coceira e feridas em todo o corpo) q não conseguimos controlar com corticoides e antibióticos por um mês, q talvez tenha mascarado a doença do carrapato. Quais a espectativas de cura e recaidas, pois um dia ele está bem e outro dorme muito. Está se alimentando normal, bebe agua e toma vitaminas. Qdo. estará fora de perigo? Por favor responda para o meu email. Obrigada.

  48. 29 de janeiro de 2014 às 16:47 Mídia Digital:

    Olá Adriana, como vai?
    Orientamos que você relate todas essas dúvidas para um médico veterinário que possa examinar seu animal. Somente assim ele poderá lhe passar as devidas orientações.
    Att,
    Ourofino.

  49. 11 de fevereiro de 2014 às 22:51 Allyne:

    Olá.
    Meu cachorro luppy foi diagnósticado com babediose, esta tomando o antibiótico doxy e uma vitamina,so que está cada dia pior, tem uma semana que ele nao come so através da seringa que coloco na boca dele, está emagrecendo,quase nao anda,tudo que dou ele vomita, ficou internado um dia, e nao melhora estou desesperada, por favor me diz o q fazer sr ainda a come rle melhorar

  50. 12 de fevereiro de 2014 às 10:43 Claudia Franco:

    Também estou com uma cadela de 12 anos com babesiose…muito triste…tenho dado o remédio com salsicha…pode?

  51. 12 de fevereiro de 2014 às 13:28 Mídia Digital:

    Prezada Allyne,
    Orientamos que o encaminhe para avaliação de um veterinário o quanto antes.

    Att,
    Ourofino

  52. 12 de fevereiro de 2014 às 13:32 Mídia Digital:

    Olá Claudia,
    Se o veterinário de seu animal permitir esta técnica de administração do medicamento, sim.
    Siga sempre as orientações do seu veterinário.

    Att, Ourofino

  53. 25 de fevereiro de 2014 às 21:39 Claudilena:

    Boa tarde, gostaria de saber se mesmo dando a medicação a risca o cão pode piorar? Pois a minha Nina foi diagnosticada com essa doença e estou seguindo todas as orientações do veterinario, o unico sintoma dela são as manchas pelo corpo, fora isso nem parece estar doente, mas não estou vendo melhoras ja estou dando a medicação a 3 dias.

  54. 27 de fevereiro de 2014 às 17:48 Mídia Digital:

    Olá Claudilena,
    Como cada caso é diferente do outro, orientamos que a Nina seja acompanhada regularmente por um médico veterinário.
    É muito importante ficar de olho.

    Att,
    Ourofino

  55. 5 de março de 2014 às 12:42 Aurilene:

    Bom dia, preciso com urgencia de ajuda. O meu bebe(cachorro) esta em tratamento da doença de carrapato, faltando uma semana para completar 21 dias, ele teve uma recaida, estamos sofrendo muito em ve-lo sofrendo, tem cura, como proceder? Me ajude por favor, sera que ele vai ficar com sequelas? Agardeço pela atençao

  56. 5 de março de 2014 às 14:09 Mídia Digital:

    Olá Aurilene,
    Procure um veterinário para avaliar o caso e lhe passar as informações corretas.

    Att, Ourofino.

Deixe seu Comentário